Chery e JAC lideram importados

O Chery QQ e o JAC J3 lideram a lista de carros importados mais vendidos no primeiro trimestre no Brasil. A lista divulgada pela Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) só inclui marcas sem fabricação no país.

Chery QQ – 2.632 unidades
JAC J3 – 2.565 unidades
KIA Bongo – 2.228 unidades
KIA Sportage – 1.849 unidades
JAC J3 Turin – 1.676 unidades
KIA Picanto – 1.492 unidades
Land Rover Evoque – 1.397 unidades
KIA Sorento – 1.362 unidades
Hafei Pick Up – 1.356 unidades
KIA Cerato – 1.187 unidades

Semana de Xangai no Brasil

A TV Brasil exibe, a partir do domingo (23/10), três documentários chineses como parte das comemorações da Semana de Xangai no Brasil. A série começará no domingo, às 16h, com Do outro lado do rio Yangtzé, que documenta a construção de um túnel e uma ponte de 25,5 km em trecho do maior rio da China. Na quarta-feira (26), à meia-noite, será apresentado A segunda primavera, sobre os hábitos dos idosos em Xangai. E no domingo (30), às 16h, o documentário Xangai 2010, que mostra as mudanças na cidade para a exposição mundial do ano passado.

As comemorações da Semana de Xangai incluem ainda a exposição de fotos “Impressões de Xangai”, de 25/10 a 1/11, no Centro Cultural São Paulo, e a exposição de livros “Janelas de Xangai”, de 24/10 a 29/10, na Biblioteca Mário de Andrade (SP).

Enquanto isso, no futebol chinês

Obina e Conca brilham e marcam 2 gols cada em rodada do Campeonato Chinês
ESPN.com.br

Obina e Conca foram so grandes destaques da rodada no Campeonato Chinês. O argentino marcou duas vezes na vitória do líder Guangzhou Evergrande sobre o Tianjin Teda por 4 a 0. O brasileiro Muriqui e o chinês Gao completaram a goleada para o líder da competição.

Já Obina marcou duas vezes, e o Shandong Luneng venceu o Nanchang Bayi por 5 a 2 neste sábado pela 25ª rodada do Campeonato Chinês. O resultado levou o Shandong ao sexto lugar, com 37 pontos. O líder Guangzhou soma 58 pontos. Destaque da partida, Obina comemorou os gols e o importante resultado conquistado fora de casa.

“Fico feliz por ter ajudado o Shandong a vencer fora de casa. Era um jogo importante em que precisávamos vencer para continuar perto dos primeiros colocados. Ainda estamos na briga por uma vaga na Liga da Ásia da próxima temporada. Vamos receber o Beijing Guoan na próxima rodada e vamos em busca de mais um bom resultado”, disse Obina, que já marcou nove gols no Campeonato Chinês.

China, terceiro destino turístico mundial

A Organização Mundial do Turismo (OMT) divulgou nesta semana que a China foi o terceiro destino turístico do mundo em 2010, com 56 milhões de visitantes, passando a Espanha, que teve 53 milhões. A França permaneceu em primeiro lugar, seguida pelos Estados Unidos. No ano passado, a OMT divulgou uma previsão de que a China se tornaria o maior destino turístico do mundo até 2015.

Revisão da pena de morte

A Assembléia Popular Nacional, órgão máximo do Poder Legislativo na China, iniciará em agosto um processo de revisão da lei penal chinesa, o que poderá levar a uma redução dos crimes passíveis de punição com a morte. O texto abaixo, em espanhol, é do jornal El País.

China quiere ejecutar menos
José Reinoso

China ha dado un nuevo paso encaminado a reducir el número de penas de muerte y, quizás algún día, suprimirlas totalmente. La Asamblea Popular Nacional iniciará el mes que viene la revisión de la actual Ley Criminal, con objeto de disminuir la cifra de delitos que pueden conducir al castigo máximo, según informa la prensa local. Las informaciones no detallan cuántos ni qué crímenes continuarán siendo punibles con la pena capital.

Actualmente, son 68, la mayoría no violentos. Entre ellos figuran corrupción, contrabando, proxenetismo, fraude fiscal, falsificación de moneda y otros con definiciones tan vagas como “poner en peligro la seguridad nacional”, “entregar secretos de Estado al extranjero” y “dividir la nación”. Incluso matar un oso panda puede llevar al condenado a recibir una inyección letal o una bala en la nuca, los dos métodos utilizados habitualmente por Pekín.

China es el país que más personas ejecuta en el mundo, un triste título por el que ha recibido repetidas críticas de organizaciones de derechos humanos y gobiernos extranjeros. Aunque el número de ajusticiados se desconoce, ya que las autoridades lo consideran secreto de Estado, grupos como Amnistía Internacional (AI) estiman que son “varios miles”; la mayoría, según el Gobierno, por asesinato, asalto armado y tráfico de drogas, pero también por corrupción. El segundo país que más personas ejecutó el año pasado fue Irán: al menos 388, según AI.

Exigência de QI

Não, não tem nada a ver com o famoso “quem indica”, tão popular na China. A empresa de outsourcing Bleum, sediada em Xangai, conseguiu chamar a atenção do mundo com outro QI, adotado em seu processo de seleção de empregados. Na primeira etapa, os candidatos devem alcançar um quociente de inteligência mínimo, num teste aplicado pela companhia. A curiosidade é a seguinte: para candidatos dos EUA, a marca a ser batida é 125; para candidatos chineses, é 140. Segundo a Bleum, que emprega cerca de mil pessoas, a diferença de critério se deve ao fato de haver muito mais candidatos chineses do que americanos. “É mais difícil entrar na Bleum do que em Harvard”, disse o executivo-chefe Eric Rongley à Computerworld.

Yuan liberado (ou quase)

Do site da BBC em português:

Pressionada, China permite valorização do yuan para maior nível desde 2005

A moeda chinesa, o yuan, chegou nesta segunda-feira ao seu valor mais alto em relação ao dólar desde junho de 2005, em meio à pressão, por parte dos Estados Unidos, para que a China demonstre mais “seriedade” em relação à promessa de flexibilizar o seu regime de câmbio.

Na manhã desta segunda-feira, um dólar comprava 6,7890 yuans – menos do que na sexta-feira (6,7896). A moeda chinesa chega ao seu valor mais alto desde que a China mudou seu regime de câmbio fixo e passou a permitir a flutuação da moeda dentro de uma estreita margem em relação ao dólar, há cinco anos.

Entretanto, desde a crise econômica, as autoridades monetárias chinesas voltaram a ancorar de fato o yuan ao dólar. Os Estados Unidos têm pressionado a China para que flexibilize a sua moeda, alegando que o yuan continua sendo mantido artificialmente abaixo do seu valor real, o que daria mais competitividade às exportações chinesas.

Na semana passada Pequim prometeu permitir uma maior flutuação do yuan, um compromisso que o presidente americano, Barack Obama, pediu que seja levado “a sério”.

“Minha expectativa é de que eles (as autoridades monetárias chinesas) levem a sério a política que eles mesmos anunciaram”, afirmou Obama, durante a cúpula do G20 – o grupo que reúne os principais países ricos e emergentes –, que terminou no domingo em Toronto, no Canadá.

A posição de Obama é apoiada por outros, como o ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, que consideram que um nível mais adequado da moeda chinesa abriria espaço para outros países exportadores e criaria condições mais favoráveis à retomada do comércio mundial.

Durante o encontro, o presidente chinês, Hu Jintao, fez um alerta para o risco de que uma flutuação brusca do yuan desestabilize os mercados de câmbio.

China / Brasil: notícias, negócios, oportunidades, empregos, TI, marketing, mídia, cultura e mandarim / chinês