Brasil sofrerá com falta de fluentes em mandarim

Como o presidente da empresa de recrutamento Michael Page comentou para matéria de alguns dias atrás do Valor Econômico: “…grandes desafios para empresas instaladas em Xangai, na China, e em Tóquio, no Japão. São instituições que buscam profissionais bi-culturais – que entendam os costumes e a maneira de fazer negócios do lado ocidental e oriental. Além disso, exigem a fluência de inglês e do mandarim.

É possível fazer negócios com chineses falando inglês, mas obviamente é sempre melhor entender a cultura do outro lado, especialmente se ele for cliente. E conhecendo de perto a qualidade do mandarim dos descendentes de chineses que moram no Brasil e a dificuldade para se aprender a língua, posso dizer que o Brasil sofrerá com a falta de pessoas fluentes em chinês no médio/longo prazo. Esse cenário é especialmente sério se comparado a Europa e EUA, onde o ensino da língua chinesa já é muito comum, inclusive em escolas públicas americanas. Empresas e profissionais desses países terão uma boa vantagem competitiva sobre os nossos.

Quem seria uma boa fonte de recursos também não deve ajudar muito. Os imigrantes chineses no Brasil estão se acostumando de forma surpreendentemente mais rápida ao país. Não que já estejam totalmente adaptados, mas, o processo tem sido muito mais veloz do que era antigamente. E muitos da primeira geração de nascidos no Brasil já mal falam a língua dos pais. A exceção (ela sempre existe) são os novos imigrantes com baixo nível educacional que acabam submetendo-se a subtrabalhos geralmente ligados ao comércio ilegal, e seus filhos que também acabam caindo na mesma situação de baixa escolaridade e poucas oportunidades.

Sem essa massa crítica capacitada, o Brasil sofrerá não só com falta de profissionais habilitados, mas, também de empreendedores que se tivesse mais conhecimentos do idioma e da cultura chinesa, poderiam explorar o mercado chinês criando empreendimentos diretamente naquele país. Claro que sempre teremos homens e mulheres de negócios bastante ousados e capacitados, mas que se vencerem será exclusivamente por força de vontade própria, como acontece com nossos esportistas, e não por uma estratégia do país.

. Mercado de trabalho para executivos na China (ArquivoChina)
. New urgency to learn Chinese (MSNBC/Washington Post, em Inglês)
. Chinese classes catch on (Orlando Sentinel, em Inglês)
. Schools scramble to teach Chinese (The Sun News/Washington Post, em Inglês)

3 opiniões sobre “Brasil sofrerá com falta de fluentes em mandarim”

  1. Prezado Senhor ,
    Sou Chinese ,veio Brasil deste 1997,no momento estou em Fortaleza Ceara,trabalhando um empresa de importacao,estou encerrando servico e volta para mora na China em junho 2007, se a possibilidade futuro tarabalha junto ,seria um grande prazer.
    TEL/FAX:0055-85-32838515
    E-MAIL:himalayascf@hotmail.com
    ATENCIOSAMENTE!
    CAO FEI
    13/03/07

  2. Sou repórter do GLOBO e estou fazendo uma matéria sobre o mandarim. Onde há cursos no Rj? Quais empresas já exigem a língua?
    aguardo contato.
    Obrigada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s